Pai Nosso

Pai Nosso

João Josué | Sept 2014

529 palavras, 6 minutos

Se a boca fala do que estar cheio o coração, então o que encheria o coração de Jesus? Ele falou incessantemente sobre ir a um templo, realizando rituais ou tentar ser uma pessoa melhor? O que era especificamente o centro de Sua vida e conversação? Amor? Verdade? Justiça? Pecado? Perdão?

Os seus ensinamentos eram vagos e inconclusivos? A Revelação de Deus na Terra, qual era sua essência?

Consideramos isso; “Se alguém me ama, meu Pai o amará …” “Aquele que Eu tenho visto, vê o Pai …” “… O próprio Pai vos ama …” “… Eu não falo nada de minha própria iniciativa, mas somente o que o Pai quer …” “… Eu e o Pai somos um … “” Porque o Pai ama o Filho … “” …Para que sejam um, Pai … “” … Eu vim do Pai … “” … Eu vou para o Pai .. “” …O Pai está em mim e Eu no Pai … “” … Pai, glorifica o Teu nome …” ” Tudo o que o Pai tem é meu … “” … Assim como o Pai que me enviou vive e Eu vivo pelo Pai… ” “Eu falo essas coisas que o Pai me ensinou …” “… Esta é a vontade do Pai …” “… Pai Nosso …” “… O seu Pai …” “… Meu Pai …” Vêem?

184 vezes Jesus falou de Seu Pai. É a razão pela qual Ele veio à terra; revelar Seu Pai para um mundo órfão. Por que ninguém está falando sobre isso? Porque eles não podem receber o Espírito do Filho. Eles estão ocupados demais procurando asua própria identidade. A identidade única de um filho fica em… seu pai. Um órfão nunca fala de um amor para um pai, mas a criança é consumida nada mais. Um escravo tenta fazer o bem, mas o filho conhece e vive a vontade de seu pai.

Alguns dizem casualmente que são um filho ou filha de Deus. No entanto, suas vidas, suas conversações e seus espíritos revelam que eles não sabem o Espírito do Filho, nem o amor do Pai. Quando um órfão, contínua tentando procurar sua identidade em qualquer coisa neste mundo, revela a ausência do espírito do filho. E com isso, você se apega a um trabalho, a uma comunidade, ou, a qualquer coisa que não é nada, porque falta em você o presente de Deus, que é a presença do Espírito Santo, se você render-se a seu Filho, Jesus.

Deus nos criou para viver e andar em comunhão com ele, e  não como escravos, sem livre arbítrio, mas como filhos e filhas que escolhem a amá-lo. A rebelião de Adão quebrou esta comunhão e deixou todos os homens a vagar como órfãos. Jesus veio para criar um meio pelo qual o Pai, poderia voltar a ser nosso Pai. O objetivo, portanto, não é um órfão obviamente, mas o Pai. Então não se concentrou em si mesmo. O amor do Pai é enfocado para o Seu Filho; Jesus, e unicamente em Seu Filho, pode entrar o Amor do Pai. Concentre-se em Jesus, e assim, chegarás ao amor do Pai.

O Espírito de Cristo (Cristo-iano) é o Espírito do Filho. Não é vago ou genérico. Não é mal interpretado. Não existem várias versões. Não grita“Eu sou um cristão”, “Eu já fiz, eu já tenho” ou “Eu tento, mas ninguém é perfeito.” O Espírito de Cristo clama uma coisa: “Abba, Pai”. Você realmente sabe a profundidade desse Espírito em sua vida todos os dias? Você poderia ser honesto. Ao conhecer o Pai, Ele ressoa em todos os aspectos de sua existência. Ele se torna sua obsessão, ele consome seu tempo, seus pensamentos, sua conversação e sua vida. Como uma criança, você vive suas respostas e como um Pai, Ele responde às suas ações.

Jesus revelou que, quando o Seu Espírito, o Espírito Santo entra em um homem somente, inteiramente, e todas as coisas vão voltar e são reduzidos ao Pai.

Nesta gloriosa conversão, o Pai, torna-se seu Pai, em sua vida. E isso traz o fim de tudo  que você é, e te leva a tudo o que Ele é. Porque você precisa de Jesus? Porque Ele é o Filho, e só em ele, pode encontra… O Pai.

Obrigado por ler,

João